Viagem
Conhecendo o Chile de norte a sul
Fotografia
6 on 6: abril de 2017
Fotografia
6 on 6: agosto de 2017
Dicas
Siga a Minka Winka nas redes sociais
Ilustração
Usando bico de pena pela primeira vez

Ilustração

Continue Lendo

Olá, pessoal. Tudo bem?
Quem me conhece sabe que adoro fazer desenhos tradicionais e pintá-los com lápis de cor. Essa minha paixão começou quando eu ainda era bem pequena e, desde então, o lápis de cor sempre foi meu companheiro.

Aprendi na marra a pintar, nunca fiz curso e nem nada parecido, e por isso, nesses anos de experiência, desenvolvi algumas técnicas próprias até a pintura se tornar algo natural para mim.

Ninguém nunca vai dominar a técnica de pintar, mas se pode adquirir certa qualidade, com muito esforço, estudo e dedicação.

Que tal compartilharmos nossos conhecimento acerca da arte de colorir e aprendermos juntos diferentes truques?

Me contem suas dicas, as marcas que usam, os tipos de papel, e continuem lendo que logo abaixo eu conto meus macetes.

Dicas para colorir com lápis de cor

1// Papel

Dependendo da época do ano, as folhas de papel estão com muita umidade, dificultando a pintura. Nesse estado, os papéis não desgastam tanto o lápis de cor, fazendo com que você demore mais a pintar determinada área. Além disso, dependendo da pressão que você põe no lápis, “barrigas” vão se formando na área pintada. Um truque que sempre uso é passar o papel com ferro de passar roupa. É ótimo! Façam isso e vocês vão sentir a diferença. Ah! E antes que me esqueça, costumo utilizar o papel sulfite comum da Chamex, desses que vem em resmas.

2// Superfície

Escolha sempre uma superfície lisa e dura para pintar. Há quem goste de pintar sobre a prancheta ou até mesmo sobre a pilha de papel, mas a dica aqui é a seguinte: tente sempre pintar em uma superfície de vidro. Por quê? Porque essas superfícies não são ásperas e, assim, as marcas do lápis não ficam tão evidentes, tornando a pintura mais homogênea.

3// Lápis de cor

Possuo três marcas de lápis de cor: Faber Castell, Prisma Color e Caran D’ache, e as três possuem características muito distintas entre si. A Faber Castell possui lápis mais duros se comparados às outras e, por demorarem mais a desgastar, permite que a pessoa controle a intensidade da cor, o que dá menos margem para erros. Por possuírem essa característica, gosto sempre de fazer a base da pele, cabelo e roupas com esses lápis.

A marca Prisma Color tem lápis muito macios, necessitando de pouca pressão para conseguir tons mais escuros. Por causa dessa característica, não costumo utilizá-los como cor base da pele, por exemplo. Utilizo para sombras e pequenos detalhes.

Os lápis Caran D’ache são um caso à parte. Eles possuem cores que não são comuns aqui no Brasil e, por causa disso, uso sem critério, aproveitando a pigmentação conforme vou pesando a mão.

lapis-de-cor_1

4// Esfuminho

Esfuminho é um rolo de papel em forma de lápis que tem como função tornar mais uniforme o grafite, mesclando a pintura até ficar homogênea. Esse material é mais indicado para lápis grafite, mas nada impede que seja utilizado em pintura com lápis de cor. É necessária muita força no pulso e paciência, mas juro que no final o efeito fica lindo.

5// Lápis branco

Muitas pessoas se perguntam qual a verdadeira função do lápis branco. A resposta é muito simples: pintar branco em papéis coloridos. Sim! Essa é a função dele, como a de qualquer outro lápis. Mas o que vou falar agora é uma dica preciosa. Por que não utilizar o lápis branco como esfuminho? E é essa a função que eu dou para eles. Sempre que pinto uma área e vejo que não ficou tão uniforme a pintura, já venho com o lápis branco e mesclo as cores. É batata!

6// Movimentos

O movimento feito ao colorir é fundamental para conseguir uma pintura uniforme. Utilizo três movimentos básicos: redondo, vai e vem e aperta e puxa.  O movimento redondo é utilizado para pintar áreas pequenas e com detalhes; o vai e vem é ideal para áreas maiores; e o aperta e puxa é mais indicado para cabelos. Um detalhe importante é que sempre mudo a intensidade da cor. Em todos os movimentos eu começo pintando mais escuro e vou diminuindo a pressão para que a cor varie até o branco, facilitando para o mesclagem, o último passo.

lapis-de-cor_2

7// Mesclar

Para mesclar diferentes cores, eu começo colocando mais pressão no início e vou diminuindo até a cor chegar ao branco, tomando cuidado para a transição das cores ficar gradual. Depois disso, pego a segunda cor e repito o processo por cima, mas dessa vez com menos intensidade no início e mais pressão no final, para a cor mesclada ficar inteiramente com a mesma intensidade.
Esse é o método que utilizo para pintar meus desenhos e tenho me saído muito bem com ele. Espero que essas dicas funcionem para vocês também.

Caso tenha interesse em saber mais sobre esse assunto, acesse também 7 dicas imperdíveis para colorir com lápis de cor #2 e Materiais de desenho.

Obrigada pela visita e até mais!

 Facebook  |  Twitter  |  Instagram da Mariana  |  Instagram da Nayara  |  DeviantArt  | Bloglovin’

Gostou? compartilhe
postado por
Mariana
Gêmea mais nova e fissurada por jogos de tabuleiro. Amante das artes e fascinada por fazer as coisas com as próprias mãos. Se não consegue encontrar na loja o que deseja, vai lá e faz.
Continue Lendo

Olá, pessoal. Como vocês estão?

Como falei aqui no blog, eu estava com muita vontade de voltar a desenhar usando métodos tradicionais. E foi por causa disso que comprei materiais novos, inclusive um bico de pena. Nunca tinha experimentado essa ferramenta antes e, como pensei que alguns de vocês também não tiveram a chance de usá-la, decidi registrar o passo a passo do processo.

Eu fiz o esboço no papel Aquarelle, da Canson. É um papel de gramatura 300g/m², bom para sketchs, mas não recomendo para pintura em aquarela: o papel encharca demais e fica enrugado quando seca. Por outro lado, achei o papel fácil de apagar, apesar da alta rugosidade da superfície.

Depois de pronto o esboço, comecei o contorno usando o nanquim Boku-Eki, da Daiso, o bico de pena da Zebra e a haste da Tachikawa. Num primeiro momento, estranhei a leveza do bico de pena e o fato de a mão parecer sem apoio, mas, depois de um tempo, percebi que essa leveza permitia que eu movimentasse o bico com mais liberdade.

Conforme se aperta o bico de pena no papel, as suas duas pontas se abrem liberando mais tinta, o que faz com que o traço fique mais espesso. Essa é a característica mais marcante do bico de pena, e eu particularmente adoro, porque dá mais movimento e estilo ao desenho. Além do mais, essa característica lembra muito mangá, não é?

Vocês devem ter reparado que o desenho está com vários borrões, né? É porque, por falta de costume, acabei passando a mão em cima do nanquim fresco. Com a prática, percebi que o ideal é rodar o desenho enquanto se está passando o nanquim para evitar as manchas.

Finalizado o contorno, decidi pintar o desenho com aquarela, mas acabei esperando pouco tempo. Eu tinha que ter esperado o nanquim secar bem (talvez de um dia para o outro), porque a água da aquarela amoleceu o nanquim e ele acabou escorrendo e se misturando com a tinta. Foi o que aconteceu com o cabelo, mas consegui reverter a situação deixando ele mais escuro para disfarçar os borrões.

Para a pintura com aquarela, o segredo é pintar de camada em camada, sempre esperando a anterior secar bem. É um processo demorado, mas o resultado compensa demais. Esse papel, em especial, não é muito bom para esse tipo de pintura, porque ele encharca rápido e enruga também (uma gramatura mais alta não resolveria o problema). O ideal é usar aquarela em papéis com uma alta porcentagem de algodão.

Esse é o resultado final depois de várias e várias camadas de aquarela. Ele borrou em alguns lugares, mas, apesar disso, gostei demais de como ficou no final. Caso queiram ver mais etapas do processo, eu compartilhei alguns videozinhos no meu Instagram (@nay_gemadeovo) mostrando detalhes do contorno e da pintura. Se tiver ficado alguma dúvida, deixe um comentário abaixo, que eu responderei com muito prazer.

Espero que tenham gostado da ilustração e até a próxima!

Gostou? compartilhe
postado por
Nayara
Futura escritora e a mais velha das gêmeas. Gosto de desenvolver projetos e compartilhar o processo criativo nesse cantinho que tanto amo. Afinal, melhor do que criar é mostrar que é possível fazer as coisas você mesmo.
Continue Lendo
Olá, pessoal. Como vocês estão? Depois de dar uma olhada no meu computador antigo, descobri que tenho vários desenhos prontos que nunca foram publicados. Decidi que vou postá-los de pouquinho em pouquinho aqui no blog, por que, afinal, ninguém merece ficar com tanto conteúdo escondido num HD, não é? Não me lembro exatamente de quando as ilustrações abaixo são, mas sei que foram desenvolvidas para estampar um...
Continue Lendo
Olá, pessoal! Como vocês estão? Faz bastante tempo que eu e a Mariana não atualizamos o blog, não é? Mas agora as coisas vão mudar, porque finalmente conseguimos uma folga para movimentar as coisas por aqui! A verdade é que nós duas estivemos estudando para um concurso público desde de fevereiro deste ano e, por causa disso, não conseguimos atualizar o blog como queríamos. Mas, enquanto estávamos...
Continue Lendo
Você é ilustrador e quer aprender a pintar com Paint Tool SAI? Então acesse o link acima e confira o passo-a-passo de pintura digital e veja como eu uso o Paint Tool SAI para desenhar. Não perca mais tempo e aprenda a fazer desenhos cada vez mais rápidos.
Continue Lendo
Olá, pessoal. Tudo bem? Quando a Mariana escreveu o 7 dicas imperdíveis para colorir com lápis de cor #1, nós duas não tínhamos feito nenhum curso de pintura com lápis de cor e, portanto, as técnicas apresentadas eram fruto da nossa experiência prática de anos de desenho. Mas hoje, depois de ter feito um extenso curso de pintura com lápis de cor voltado para ilustração científica, sinto que...
Continue Lendo
Olá, pessoal. Como vocês estão? Eu e a Mariana passamos alguns dias sem postar porque estávamos trabalhando duro para reformar o nosso estúdio e o layout do blog (espero que vocês tenham gostado), mas finalmente terminamos! Vamos fazer uma série de posts e vídeos de DIY mostrando como estamos decorando o nosso cantinho, e vou começar o post de hoje mostrando o primeiro projeto de decoração que fizemos. Espero que vocês gostem!...
Continue Lendo
Olá, pessoal. Como vocês estão? Qual foi a minha surpresa quando eu vi a reinterpretação dos contos de fadas para a cultura coreana? Eu pirei, é claro! A artista responsável por esse belíssimo trabalho é a Na Young Wu, conhecida como Obsidian, que ilustrou cenas dos contos a Branca de Neve, A Rainha da Neve, O Lago dos Cisnes, A Princesa e o Sapo, Chapeuzinho Vermelho, A Bela e...
Continue Lendo
Olá, pessoal. Como vocês estão? Quando eu vi o trabalho de J. Scott Campbell no DeviantArt, fiquei maravilhada, principalmente, com a série de ilustrações que ele fez das vilãs e das princesas (na verdade nem todas são princesas, mas o termo já é tão popular que eu deixo assim mesmo). Ele ilustrou a Alice, a Branca de Neve, a Aurora, a Ariel, a Cinderela e a Rapunzel, todas...
Continue Lendo
Olá, pessoal. Como vocês estão? Eu sei que muita gente que frequenta o Gema adora as personagens da Disney-Pixar, assim como eu e a Mariana.  Depois que vi as “princesas” e seus “príncipes” todos arrumadinhos para o baile de formatura ilustrados pela talentosa Kathryn Hudson, não resisti e decidi publicar aqui no blog. Vejam se não são uma graça? Eu adorei cada um dos casais, principalmente a...