Viagem
Conhecendo o Chile de norte a sul
Fotografia
6 on 6: abril de 2017
Fotografia
6 on 6: agosto de 2017
Dicas
Siga a Minka Winka nas redes sociais
Ilustração
Usando bico de pena pela primeira vez

caligrafia

Continue Lendo

Olá, pessoal. Como vocês estão?

Vocês sabem que eu adoro caligrafia, mas sempre apreciei de longe, observando imagens no Pinterest e no Instagram, sem nunca botar a mão na massa para realmente estudar. Recentemente, deixei a preguiça de lado e decidi praticar observando os trabalhos de artistas que eu gostava. Vou fazer uma ressalva aqui: copiar, por motivos de estudo, é válido, recomendado e muito importante para quem quer aprender uma técnica nova. O que não é nenhum pouco legal é copiar o do outro e publicar como se fosse de sua autoria, viu?

Por muito tempo, pratiquei, observei e me inspirei em vários artistas, e hoje sinto que evoluí para uma escrita que me agrada, que corresponde ao meu estilo. Sei que ainda falta muita prática para eu chegar à minha essência, como acontece com qualquer arte, mas vou seguir me exercitando.

Vou mostrar para vocês como foi minha evolução ao longo desse tempo.

Bora lá?

praticando caligrafia_1

Esse é um rolo de metro que eu usei para praticar logo no início da minha aventura. Usei marcadores da Tombow e fui copiando coisas aleatórias do Instagram e coisas que eu ouvia na televisão, com o intuito de perceber como funcionava o movimento da mão e como a ponta do marcador se comportava com a pressão.

Foi nesse exercício que percebi que o movimento ascendente se faz com o marcador leve (traço fino) e que o movimento descendente se faz com o marcador pressionado (traço grosso). Ah, foi depois dessa prática que vi necessidade de adquirir um papel específico para marcadores, porque esse rolo que eu usei era muito poroso, o que fazia a tinta da caneta espalhar pelo papel.

É bem nítido que eu ainda não havia adquirido uma constância na mão e que os traçados não ficaram muito harmoniosos, o que se dá especialmente pela baixa qualidade do papel e, claro, pela falta de experiência.

praticando caligrafia_2praticando caligrafia_3

Depois de algum tempo praticando, adquiri um papel especial para marcadores, o que fez uma diferença tremenda no traçado das canetas. Com esse papel (Marquer da Canson 70g/m²), senti que a caneta deslizou melhor, que a cor ficou mais viva e que os traçados ficaram mais orgânicos. Foi só aí que me senti confiante o suficiente para deixar as referências de lado e desenvolver um estilo próprio.

praticando caligrafia_4

Depois de tanta prática, muitas das minhas canetas foram ficando com as pontas abertas e com rebarbas, o que comprometeu o resultado final. É justamente por isso que eu estou doida para comprar um conjunto novo de marcadores, mas dessa vez pretendo comprar cores que combinem mais entre si.

praticando caligrafia_5

Para completar o post, criei um exercício básico para quem está iniciando no mundo da caligrafia. A ideia é cobrir as letras com uma caneta Tombow, ou semelhante, sempre prestando atenção nos traços finos (ascendente) e nos grossos (descendentes).

Para começar de vez, basta imprimir a imagem em um papel A4 e começar a praticar. Ah, não precisa usar um papel especial nesse início não, um papel sulfite já é suficiente.

praticando caligrafia_6

Espero que vocês tenham gostado do post de hoje!

Até mais!

Facebook  |  Twitter  |  Instagram da Mariana  |  Instagram da Nayara  |  DeviantArt  | Bloglovin’

Gostou? compartilhe
postado por
Nayara
Futura escritora e a mais velha das gêmeas. Gosto de desenvolver projetos e compartilhar o processo criativo nesse cantinho que tanto amo. Afinal, melhor do que criar é mostrar que é possível fazer as coisas você mesmo.
Continue Lendo

O lettering é uma das vertentes do Design que mais me encantam, e atualmente é muito fácil encontrar esse tipo de design estampando os mais variados suportes – sejam revistas, muros, ilustrações, pôsteres –, mostrando que o resgaste das coisas feitas à mão é um movimento que veio para ficar.

Que o handlettering é uma das grandes tendência no design gráfico, todo mundo já deve ter percebido. Mas, quem são os artistas e designers que exploram as letras para criar composições únicas e com essa marcante característica handmade?

Vem conhecer!

// Vanessa Kinoshita

// Phellipe Wanderley

// Dizeres imperfeitos

// Juliana Moore

Essa é a primeira parte de uma série de posts sobre lettering! Algum designer que vocês queiram ver nas próximas postagens? Nos deixe um comentário.

Até mais!

Facebook  |  Twitter  |  Instagram da Mariana  |  Instagram da Nayara  |  DeviantArt  | Bloglovin’

Gostou? compartilhe
postado por
Nayara
Futura escritora e a mais velha das gêmeas. Gosto de desenvolver projetos e compartilhar o processo criativo nesse cantinho que tanto amo. Afinal, melhor do que criar é mostrar que é possível fazer as coisas você mesmo.