Viagem
Conhecendo o Chile de norte a sul
Fotografia
6 on 6: abril de 2017
Fotografia
6 on 6: agosto de 2017
Dicas
Siga a Minka Winka nas redes sociais
Ilustração
Usando bico de pena pela primeira vez

esfuminho

Continue Lendo

Olá, pessoal. Tudo bem?
Quem me conhece sabe que adoro fazer desenhos tradicionais e pintá-los com lápis de cor. Essa minha paixão começou quando eu ainda era bem pequena e, desde então, o lápis de cor sempre foi meu companheiro.

Aprendi na marra a pintar, nunca fiz curso e nem nada parecido, e por isso, nesses anos de experiência, desenvolvi algumas técnicas próprias até a pintura se tornar algo natural para mim.

Ninguém nunca vai dominar a técnica de pintar, mas se pode adquirir certa qualidade, com muito esforço, estudo e dedicação.

Que tal compartilharmos nossos conhecimento acerca da arte de colorir e aprendermos juntos diferentes truques?

Me contem suas dicas, as marcas que usam, os tipos de papel, e continuem lendo que logo abaixo eu conto meus macetes.

Dicas para colorir com lápis de cor

1// Papel

Dependendo da época do ano, as folhas de papel estão com muita umidade, dificultando a pintura. Nesse estado, os papéis não desgastam tanto o lápis de cor, fazendo com que você demore mais a pintar determinada área. Além disso, dependendo da pressão que você põe no lápis, “barrigas” vão se formando na área pintada. Um truque que sempre uso é passar o papel com ferro de passar roupa. É ótimo! Façam isso e vocês vão sentir a diferença. Ah! E antes que me esqueça, costumo utilizar o papel sulfite comum da Chamex, desses que vem em resmas.

2// Superfície

Escolha sempre uma superfície lisa e dura para pintar. Há quem goste de pintar sobre a prancheta ou até mesmo sobre a pilha de papel, mas a dica aqui é a seguinte: tente sempre pintar em uma superfície de vidro. Por quê? Porque essas superfícies não são ásperas e, assim, as marcas do lápis não ficam tão evidentes, tornando a pintura mais homogênea.

3// Lápis de cor

Possuo três marcas de lápis de cor: Faber Castell, Prisma Color e Caran D’ache, e as três possuem características muito distintas entre si. A Faber Castell possui lápis mais duros se comparados às outras e, por demorarem mais a desgastar, permite que a pessoa controle a intensidade da cor, o que dá menos margem para erros. Por possuírem essa característica, gosto sempre de fazer a base da pele, cabelo e roupas com esses lápis.

A marca Prisma Color tem lápis muito macios, necessitando de pouca pressão para conseguir tons mais escuros. Por causa dessa característica, não costumo utilizá-los como cor base da pele, por exemplo. Utilizo para sombras e pequenos detalhes.

Os lápis Caran D’ache são um caso à parte. Eles possuem cores que não são comuns aqui no Brasil e, por causa disso, uso sem critério, aproveitando a pigmentação conforme vou pesando a mão.

lapis-de-cor_1

4// Esfuminho

Esfuminho é um rolo de papel em forma de lápis que tem como função tornar mais uniforme o grafite, mesclando a pintura até ficar homogênea. Esse material é mais indicado para lápis grafite, mas nada impede que seja utilizado em pintura com lápis de cor. É necessária muita força no pulso e paciência, mas juro que no final o efeito fica lindo.

5// Lápis branco

Muitas pessoas se perguntam qual a verdadeira função do lápis branco. A resposta é muito simples: pintar branco em papéis coloridos. Sim! Essa é a função dele, como a de qualquer outro lápis. Mas o que vou falar agora é uma dica preciosa. Por que não utilizar o lápis branco como esfuminho? E é essa a função que eu dou para eles. Sempre que pinto uma área e vejo que não ficou tão uniforme a pintura, já venho com o lápis branco e mesclo as cores. É batata!

6// Movimentos

O movimento feito ao colorir é fundamental para conseguir uma pintura uniforme. Utilizo três movimentos básicos: redondo, vai e vem e aperta e puxa.  O movimento redondo é utilizado para pintar áreas pequenas e com detalhes; o vai e vem é ideal para áreas maiores; e o aperta e puxa é mais indicado para cabelos. Um detalhe importante é que sempre mudo a intensidade da cor. Em todos os movimentos eu começo pintando mais escuro e vou diminuindo a pressão para que a cor varie até o branco, facilitando para o mesclagem, o último passo.

lapis-de-cor_2

7// Mesclar

Para mesclar diferentes cores, eu começo colocando mais pressão no início e vou diminuindo até a cor chegar ao branco, tomando cuidado para a transição das cores ficar gradual. Depois disso, pego a segunda cor e repito o processo por cima, mas dessa vez com menos intensidade no início e mais pressão no final, para a cor mesclada ficar inteiramente com a mesma intensidade.
Esse é o método que utilizo para pintar meus desenhos e tenho me saído muito bem com ele. Espero que essas dicas funcionem para vocês também.

Caso tenha interesse em saber mais sobre esse assunto, acesse também 7 dicas imperdíveis para colorir com lápis de cor #2 e Materiais de desenho.

Obrigada pela visita e até mais!

 Facebook  |  Twitter  |  Instagram da Mariana  |  Instagram da Nayara  |  DeviantArt  | Bloglovin’

Gostou? compartilhe
postado por
Mariana
Gêmea mais nova e fissurada por jogos de tabuleiro. Amante das artes e fascinada por fazer as coisas com as próprias mãos. Se não consegue encontrar na loja o que deseja, vai lá e faz.